quinta-feira, 16 de julho de 2009

FÁTIMA: ALTAR DO MUNDO

Nossa Senhora apareceu em 1917, no sítio denominado Cova da Iria, a 2.5 Km de Fátima, e pediu penitência e que fosse rezado o Terço todos os dias.
A cidade de Fátima (ou será da Cova da Iria?) tornou-se num centro de espiritualidade, onde todos os anos rumam milhões de peregrinos.
No dia 13 de Maio de 1917 brincavam os três pastorinhos aqui na Cova da Iria, que era uma pequena propriedade pertencente aos pais de Lúcia, quando por volta do meio-dia e após terem rezado o Terço, observaram dois clarões como se fossem relâmpagos. Receando que fosse começar a chover, reuniram o rebanho e decidiram ir-se embora, mas no caminho, um pouco mais abaixo, outro clarão teria iluminado todo o espaço.
Nesse instante, teriam visto em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma senhora muito jovem que "era uma Senhora vestida de branco e mais brilhante que o Sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente", descreve Lúcia. "A sua face, indescritivelmente bela não era nem triste, nem alegre, mas séria, com ar de suave censura. As mãos juntas, como a rezar, apoiadas no peito e voltadas para cima. Da mão direita pendia um rosário. As vestes pareciam feitas só de luz. A túnica era branca e branco o manto, orlado de ouro que cobria a cabeça da Virgem e lhe descia até aos pés. Não se Lhe viam os cabelos nem as orelhas."
Os traços da fisionomia Lúcia nunca pôde descrevê-los, pois a sua formusura não cabe em palavras humanas. Os videntes estavam tão perto de Nossa Senhora - a um metro de distância, mais ou menos - que ficavam dentro da luz que A cercava, ou que Ela espargia.
O colóquio inicia-se da seguinte maneira:Nossa Senhora: - Não tenhais medo. Eu não vos faço mal. Lúcia: - Donde é Vossemecê? - Sou do Céu ( e Nossa Senhora ergueu as mãos apontando o Céu). - E que é que Vossemecê me quer? - Vim para vos pedir que venhais aqui seis meses seguidos, no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Depois voltarei ainda aqui uma sétima vez. - E eu também vou para o Céu? - Sim, vais. - E a Jacinta? - Também. - E o Francisco? - Também, mas tem que rezar muitos terços.
Das histórias religiosas desta terra de Fátima ficaram as aparições, acontecidas nesse 13 de Maio de 1917 e nos meses seguintes, aos três pastorinhos, Lúcia, Francisco e Jacinta, que por ali apascentavam o rebanho dos seus pais, até que de um momento para o outro, em cima de uma pequena azinheira, viram surgir aquela luz brilhante e intensa, que envolvia a linda Senhora. Tornou-se assim Fátima no ALTAR DO MUNDO.

Nossa Senhora disse-lhes que voltaria nos seis meses seguintes, para pedir orações e sacríficios... pediu-lhes que também rezassem pela humanidade. De Junho a Outubro foi isso que fizeram os pastorinhos, mesmo que as autoridades tudo fizessem para os contrariar. A notícia das aparições correu célere e muita gente se veio juntar à volta das crianças para ver a Senhora.
Em Outubro milhares de pessoas puderam testemunhar testemunhar aquilo que iria ficar conhecido como o Milagre do Sol.
Nos terrenos junto à azinheira edificou-se um Santuário, em honra de Nossa Senhora do Rosário, que tinha como objectivo poder acolher os peregrinos. No preciso local da aparição, sobre a azinheira, entretanto destruída, ergueu-se uma capelinha, a Capelinha das Aparições, onde está colocada para veneração a imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.
Todo turista que visita o Santuário rende-se à energia positiva de tanta fé que se sente naquele local. É impossível não se emocionar perante manifestações de tanta fé, tanto sentimento de pessoas vindas dos mais diversos países, que em Fátima buscam a esperança, um milagre, ou simplesmente conforto espiritual.
FÁTIMA CONVIDA À ORAÇÃO... À CONVERSÃO... AO AMOR!

1 comentário:

Lionel Messi disse...

Gooooooooooooooooooood

Thank you

The subject of more than wonderful